Início | Livros de biblioteca | Fale Conosco

Main Menu

Languages

Select Interface Language:

A Fraude do Eclipse Duplo do Ramadan
Posted by webmaster on Thursday, August 06 @ 03:22:31 AST (1053 reads)
(Read More... | 73739 bytes more | Score: 0)
All Topics

Campanha de Conscientização Ahmadia

O PARAÍSO PERDIDO DE SHADDAD

Uma Fraude Eclipsada ou Uma Fraude de Eclipse?

 

Shaddad foi um rei de dias passados que tentou construir para si um Paraíso, após ter ouvido as histórias do Paraíso Divino. Finalmente quando estava pronto para a inauguração, quando ele estava quase entrando em seu Paraíso, Alá ordenou Ezrail (as), o anjo da morte, a arrancar a alma de Shaddad. Tal é o fim de pessoas ameaçadoras e arrogantes.

 

O Movimento Ahmadia tem feito muita propaganda sobre os denominados ‘Sinais Divinos’, revelados em favor de seu fundador, Mirza Ghulam Ahmad Qadiani para provar que ele é Imam Mahdi. Baseado no que foi escrito por Mirza Ghulam, um filme em vídeo foi transmitido ano passado na televisão americana e vários artigos foram escritos para anunciar a ocorrência destes ‘Sinais Divinos’ que ocorreram exclusivamente durante a vida de Mirza.  

 

Poucos destes artigos também estão presentes na Internet. Recentemente um Ahmadi de Toronto, Sr Eisa Jan, escreveu para mim:

“Se qualquer não-muçulmano lhe perguntar se seu Profeta profetizou que na virada do século 14, Imam Mahdi ou Prometido Messias aparecerá. Agora o século 15 começou e não há sinal nenhum de Imam Mahdi?”.

Similarmente se ele perguntar se seu Profeta profetizou que na época do aparecimento de Imam Mahdi, a lua eclipsará no primeiro dia do Ramadan e sol eclipsará na data mediana do Ramadan e estes dois eclipses acontecerão no Ramadan de 1894 mas não há nenhum sinal de Imam Mahdi?  

Você não terá nada a dizer exceto silêncio ou embarassamento. Mas pela Graça de Deus, nós, Ahmadis, podemos dizer orgulhosamente que todas as profecias do Santo Profeta (Mohammed) SAAW foram *****pridas em toda a sua glória”.  

 

·         Qual foi a profecia do Sagrado Profeta Mohammed SAAW?  

·         Qual foi a afirmação de Mirza Ghulam?  

·         Esta profecia foi realmente *****prida a favor de Mirza?  

OU  

·         ·        É apenas uma outra fraude em nome do Islã – um eclipse fraudulento? 

 

·         ·        Parte I - A Profecia original  

·         ·        Parte II - A Tradução e Manipulação de Mirza Ghulam

·         ·        Parte III - Falsas afirmações de anos passados

·         ·        Parte IV - Comentários sobre ‘Eclipses e o  Prometido Messias’ por Dr David McNaughton  

·         ·        Parte V - Datas do Eclipse Duplo do Ramadhan por Dr David McNaughton  

·         ·        Eclipses e o Prometido Messias  - o ponto de vista do Astrônomo Qadaini.  

 

Em nome de Allah, o Mais Misericordioso, o Mais Benevolente

PARTE I

A Profecia Original do Eclipse Duplo do Ramadan

Narrado por 'Amr, filho de Shamer que cita Jabir, que citou Mohammed bin 'Ali ( Imam Mohammed al Baqir): 

 

“Para o nosso Mahdi, há dois sinais. Desde o nascimento do Universo, estes eventos nunca aconteceram. Aqueles dois sinais são que haverá um Eclipse Lunar na primeira noite do Ramadan e um Eclipse Solar no meio do Ramadan”. (Dar-e-Qatni, vol 1 p.188) 

 

Há dois pontos que valem ser notados:

 

·         A tradição mencionada acima é uma citação de Imam Mohammed al Baqir bin 'Ali e não o Hadith (Tradição) do Sagrado Profeta Mohammed SAAW.  

·         Durante os últimos séculos, sábios islâmicos de Hadiths (muhadditheens) sempre mantiveram que os dois narradores, 'Amr e Jabir, desta tradição são conhecidos por serem mentirosos. Portanto esta tradição não deve ser confiada.  

PART II 

Mirza Ghulam e a Profecia do Eclipse Duplo do Ramadan

A seguir estão algumas das citações dos livros de Mirza Ghulam Ahmad Qadiani, o fundador do Movimento Ahmadia. 

 

“Eu tenho uma evidência de Deus... no Sagrado Alcorão e Hadith de Dar-e-Qatni estes (eclipses lunar e solar) foram mencionados como um sinal do Prometido Mahdi”.  

(Roohani Khazain vol  17 p.63) 

 

“Um Hadith de Dar-e-Qatni também prova que o Prometido Mahdi aparecerá no principio do século XIV, e que o Hadith é este...” a tradução do Hadith todo é:  

 

‘Há dois sinais de nosso Mahdi; como a criação da terra  

e este sinal celeste não foi revelado para qualquer  

designado e profeta e mensageiro; e que sinais são  

que a lua eclipsará na primeira noite de suas noites fixas de  

eclipse e sol no meio dos dias fixos  

para este eclipse, durante o mês de Ramadan’. 

......este Hadith claramente fixa o século XIV.”

                                                            (Roohani Khazain vol 17 p.331) 

PS Note as interpolações  na tradução do Hadith!!  

 

A Lua do Século XIV

“O século XIV é aquele século sobre o qual até mesmo as senhoras diziam  

que era o século de bênçãos e generosidades que viria.... mas alas!  

o dia veio e a lua cheia despertou, ele foi rotulado como homem de negócios, egoísta”.  

(Roohani Khazain, Malfoozat vol 1 p.163)   

Declarações Contraditórias 

“Isto nunca aconteceu e absolutamente nunca aconteceu, exceto em minha época,  

desde o inicio do universo até agora, que os eclipses lunar e solar juntaram-se

no mês do Ramadan, de tal maneira que algum pretendente a mensageiro

ou profeta ou muhaddathiyat (aquele que conversa com Deus) também esteve presente”.  

(Roohani Khazain vol 9 p.50) 

 

“O significado da profecia é que este sinal não veio para qualquer outro pretendente, se verdadeiro ou não. Só dado ao Prometido Mahdi. Se estes tiranos molvis (sábios islâmicos) possam apresentar uma ocorrência semelhante de eclipse lunar e solar na época de algum outro pretendente; então sem dúvida eu me tornarei um mentiroso”.  

(Roohani Khazain vol  11 p.332) 

 

“Quando este sinal apareceu em Hindustan, nas ruas de Makkah, pessoas estavam dizendo que o Prometido Mahdi havia  nascido..., eles estavam saltando de alegria porque chegara a hora para a elevação do Islã e o Mahdi nascera”.  

(Roohani Khazain vol 17 p.154) 

 

“A combinação dos eclipses lunar e solar durante o  Ramadan nunca aconteceu durante a época de qualquer Profeta ou Mensageiro ou muhaddith e desde o nascimento do universo durante a época de qualquer pretendente a mensageiro ou profeta ou muhaddithiyat, os eclipses  lunar e solar nunca ocorreram juntos no Ramadan. Combinação de eclipses Lunar e Solar é um fenômeno antinatural”.  

(Roohani Khazain vol 9 p.84) 

 

“Todos aqueles Hadiths nos quais a vinda do Mahdi (Profeta) é predita não são autênticas e não podem ser confiadas”.

(Haqeeqat-ul-Mahdi, Roohani Khazain vol 14 pág. 429) 

 

“E agora eu gostaria de informar ao meu governo (britânico) que o Prometido Messias, justamente guiado por Deus e seguindo a conduta de Jesus Cristo, sou eu ... e eu absolutamente nego que um Messias descerá dos céus para as Guerras islâmicas; e que alguém pelo nome de Mahdi, da família de Fathima que será um governante do seu tempo e ambos (ele e o Messias) se unirão para começar a matança, Deus revelou a mim que todas estas coisas não estão corretas...a alegação de Mohammed Hussain Batalvi traçando uma similaridade entre mim e Mahdi Sudani, é uma tentativa de enganar o governo. É óbvio que eu não acredito na Jihad e nem mesmo acredito em tal Mahdi ou Messias que virá para a Jihad e para o derramamento de sangue. Portanto qual  é a semelhança entre mim e Sudani e o qual é a relação dele comigo”?  

(21 de fevereiro de 1889, Haqeeqat-ul-Mahdi, Roohani Khazain vol 14 p.436) 

 

“O Mahdi que foi destinado a vir com orientação direta de Deus na hora da queda do Islã e da expansão da apostasia, cujas boas novas foram determinadas pelo Sagrado Profeta SAAW  a 1300 anos, sou eu”.  

(Tazkirat AlShahadatain, Roohani Khazain vol 20, p.43) 

 

“Desde que eu era jovem, até hoje, com quase 60 anos, eu tenho estado comprometido com minha língua e caneta em uma tarefa importante, que é virar os corações dos muçulmanos para o verdadeiro amor e benevolência para o governo britânico e remover as idéias erradas de Jihad dos corações dos muçulmanos estúpidos”.  

(Roohani Khazain vol 13 p.339) 

Reagindo à crítica de um dos seus oponentes, Mirza Ghulam Ahmad disse: 

 

“O Baixa Casta, Khabees, Inimigo de Allah e do Profeta! Você fez esta alteração judia na (profecia), de forma que este Grande Milagre do Sagrado Profeta SAAW fosse ocultado deste mundo...sua mentira, O sem valor, está exposta...de qual palavra  estes estúpidos entenderam estes significados? O Tolos! O sem Visão! Desgraça ao Molviyat! ...especialmente o chefe dos Dajjaleens, Abdul Haq Ghaznavi e os seguidores dele; Cem mil vezes maldições caiam sobre eles. O Sujo Dajjal! Profecia foi *****prida mas o fanatismo cegou vocês”.  

(Zamima Anjam-e-Atham, Roohani Khazain vol 11 p.330) 

 

Declarações Contraditórias

“Eu não afirmo que eu sou o Mahdi que está de acordo com (o Hadith de Rasoolullah) do filho de Fátima e de minha família etc.”  

(Braheen-e-Ahmadiyya, part 5, Roohani Khazain vol 21 p.356) 

   

“Eu também admito que vários Mahdi podem ter vindo antes e possivelmente virão no futuro e algum Mahdi pode aparecer pelo nome de Imam Mohammed”.  

(Izala-e-Auham, Roohani Khazain vol 3 p.380) 

 

“É possível que nenhum Messias possa aparecer no futuro. Possa ser que mais 10.000 Messias possam aparecer e um deles pode descer em Damasco.... e é possível e altamente provável que a algum dia um Messias apareça e sobre o qual as palavras de Hadith se apliquem...”.  

(Izala-e-Auham, Roohani Khazain, vol 3 p.197) 

Contradições e Édito de Qadiani

“Escritos de um mentiroso normalmente contêm contradições”.  

(Zamima Braheen-e-Ahmadiyya Part 5, Roohani Khazain vol 21 p.275) 

 

“Escritos de uma pessoa verdadeira de consciência limpa nunca contém qualquer contradição. Porém se alguém é lunático e insano ou tal hipócrita que é homem de adular alguém, seus escritos irão, com certeza, ser contraditórios”.  

(Sat Bachan, Roohani Khazain vol 10 p.132) 

 

“Qualquer pessoa inteligente e sensata nunca pode manter duas convicções diferentes”.  

 

PART III

Falsas Afirmações de Anos Passados e o Eclipse Duplo do Ramadan

 

Mirza Ghulam Ahmad Qadiani, fundador de Movimento Ahmadia, pretendente de Mahdi e Messias, disse:

“Este sinal de (Eclipse Duplo do Ramadan) não foi dado a qualquer pretendente, se verdadeiro ou falso, apenas dado ao Prometido Mahdi. Se estes Cruéis Molvis puderem provar a ocorrência do Eclipse Duplo na vida de algum outro pretendente, então eu me tornarei um mentiroso sem sombra de dúvida”.  

(Roohani Khazain vol 11 p.332) 

Durante os últimos 1400 anos houve pretendentes inumeráveis, grandes e pequenos, alguns deles durante a vida do próprio Mirza Ghulam. A seguir a lista de alguns pretendentes:  

1. Dr Alexander Dowie nos E.U.A., 1890s.  

2. Mahdi Sudani no Sudão.  

3. Mirza Ali Baab no Irã. Reivindicado ser Mahdi em 1260 AH.  

4. Subhe Azal, o sucessor de Mirza Ali Baab.   

5. Baha-ullah, sucessor de Mirza Ali Baab. Ambos reivindicaram ser Mahdi.  

6. Saleh binTarif Burghwati reivindicou ser profeta e Mahdi em 125AH. Em 174 AH ele abdicou o trono em favor de seu filho, depois de reger seu povo durante 47 anos. (AlIstaqsa LAkhbar alMaghrib alAqsa, veja Aimma-e-Tilbees vol 1 p.192)  

7. Abu Mansoor Eisa reivindicou ser profeta e Mahdi em 341 AH e governau seu povo por 28 anos. (Aimma-e-Tilbees Vol 1 p.194)  

8. Abu Ghafeer Mohammed bin M'uaaz. Reivindicou ser Mahdi em 268 AH e  governou seu povo por 29 anos. (Aimma-e-Tilbees vol  1 p.194)  

Caro Leitor!  

Mirza Ghulam Ahmad Qadiani e seus seguidores vêm enganando a todos por muito tempo. O mito de ‘Sinais Divinos’  agora foi exposto. Se estes eventos provam qualquer coisa, é para o leitor decidir. 

Há um mais mito que precisa ser exposto.  

 

Um das provas de Mirza Ghulam Ahmad Qadiani  ser o verdadeiro pretendente é que Mirza Ghulam viveu mais de 23 anos depois de reivindicar ser profeta. Todo qadiani/ahmadi acredita nisto. Mirza Ghulam disse:

 

“Se nosso movimento não foi então estabelecido por Deus Todo Poderoso, então me dê exemplo da história de qualquer nação que alguém inventou uma mentira sobre Allah e ele sobreviveu muito tempo. Para nós isso já é critério suficiente que o período do Sagrado Profeta Rasoolullah SAAW (de receber revelações) foi de 23 anos. Deus deu a nós o mesmo período de um Verdadeiro e Perfeito Profeta”.  

(Roohani Khazain, Malfoozat vol 1 p.301) 

Aos leitores eu educadamente peço que notem os seguintes pontos:

· Mirza Ghulam reivindicou ser profeta em 1900 e ele ainda rotula este período de revelação como maior que o do Sagrado Profeta Mohammed SAAW.  

· Não há tal critério, que para ser um Profeta seja necessário ter um período mais longo que os Profetas antecessores. Como Mirza Ghulam deduziu isso, só Deus sabe!  

· Teve isto sido assim o que dirá alguém sobre todos os Profetas que vieram depois de Hazrat Noah [Noe](as), que precedeu seu povo em 950 anos.  

·Contudo, como mencionado acima, houve vários pretendentes de profeta que governaram seu povo por longos períodos e ainda eram mentirosos.  

Verdadeiros Profetas costumavam anunciar suas profecias

e os Mentirosos sempre afirmavam isto.

Suborno & Mirza Ghulam
Posted by webmaster on Thursday, August 06 @ 03:10:33 AST (984 reads)
(Read More... | Score: 0)
All Topics

Movimento Anti Ahmadia do Islã  

 Bismillah ArRehman ArRaheem

 Suborno e Mirza Ghulam

  A posição islâmica sobre suborno é muito clara. O Apóstolo de Allah (paz esteja com Ele) amaldiçoou os que subornam e os que aceitam. (Hadith Sunan Abu Dawood).

  Em um dos grupos de discussão, um dos ativistas ahmadi da Alemanha, Chaudhary Shiraz recentemente comentou sobre a propagação do SUBORNO no Paquistão e a falta de atenção dos Mullahs sobre isto. O que ele estava insinuando é que eles deveriam condenar tais atos em lugar de desperdiçar o tempo deles expondo a fraude de Mirza Ghulam e do Movimento Ahmadia.

  Eu não tenho nenhuma dúvida que o suborno está vicejando no Paquistão, mas por que apenas no Paquistão? É um fenômeno universal. Mas talvez Chaudhary Saheb esqueceu que quem vive em casa com telhado de vidro não deve jogar pedra no telhado dos outros. Os seguidores de Mirza Ghulam Ahmad Qadiani sabem o que seu fundador tem a dizer sobre suborno? Eu estou certo que não.  

 Isto é o que ele disse:

“Hazrat Maulana Nooruddin Saheb mencionou que 'Huzoor! Uma questão que a maioria das pessoas às vezes me pergunta é que eles encontram situações que ao menos que paguem algo aos funcionários, a tarefa deles não é terminada e eles são destruídos”.  

(Huzoor) disse: "Para mim SUBORNO é definido como a dissolução dos direitos de alguém ou ilegalmente suprimir ou retirar os direitos do governo de algo que é dado de acordo com a exigência do mesmo. Se a situação é tal que não há nenhuma perda para ninguém e nem para o direito de alguém, apenas dado para proteger seus próprios direitos, isto não é SUBORNO. Além do mais é análogo dizer que se nós estamos indo numa estrada e algum cachorro vem pela frente e nós lhe damos um pedaço de pão para que assim nos deixe passar e permanecemos salvo”.

(Roohani Khazain 2, Malfoozat vol.3 p.317)

“SUBORNO nunca deveria ser dado. É um grande pecado. MAS eu DEFINO SUBORNO como aquilo que pelo direito do Governo ou outros é destruído. Eu absolutamente proíbo isto, mas se dado numa maneira na qual não haja intenção de violação dos direitos de outros, mas apenas para prevenir a violação de seus próprios direitos e salvaguardar de danos, então em minha opinião, isto não é proibido. Eu não chamo isto de SUBORNO”.

 (Roohani Khazain 2, Malfoozat vol.3 p.320) 

 

 “Suborno e presente deveriam ser diferenciados. Suborno é aquele que é dado para tomar ou violar o direito de outros. Por outro lado se alguém faz meu trabalho com submissão e devidamente e o direito de ninguém é violado, então qualquer coisa que seja dada a esta pessoa é o honorário por seus esforços”. 

 (Roohani Khazain 2, Malfoozat vol.5 p.223) 

Caros Qadianis/Ahmadis! Vocês realmente pensam que tal homem pode ser um ser humano decente, para não dizer um Profeta ou um Messias ou Mahdi?

Wassalam para aqueles que seguem o hidayah

Rashid  

--  

http://alhafeez.org/rashid /  

[Verdadeiramente na Recordação de Allah que os corações achem Paz. (Alcorão)]  

rasyed@emirates.net.ae rasyed54@hotmail.com rasyed@yahoo.com  

 

CUIDADO COM O ANTI-CRISTO
Posted by webmaster on Thursday, August 06 @ 03:06:33 AST (1500 reads)
(Read More... | 32376 bytes more | Score: 0)
All Topics

Bismillah Al-Rehman Al-Raheem

Anti Ahmadiyya Movement in Islam

 

Você pode encontrar com pessoas que se auto proclamam “Mulçumanos Ahmadi” (Ahmadiyya, Qadiani, Lahoris). Eles afirmam ser os “verdadeiros muçulmanos” e tem “um convite para todos os bons cristãos”.

CUIDADO – AHMADIYYA PROFANA O CULTO A JESUS,

E difama os cristãos, muçulmanos e todos que estão fora de sua religião!

Eles não são muçulmanos. Em 1974 a Liga Mundial Muçulmana unanimemente declarou esse movimento subversivo e anti-islamico, a Associação Ahmadia enganosamente age sob o nome do Islã para se legitimarem, para ganhar aceitação mais fácil das pessoas, para engana-las e tentar semear o conflito entre as religiões. Seus ensinamentos são anti-islamicos, e também são anticristãos. Como suas mentiras já foram expostas no mundo muçulmano, agora eles tentam enganar os cristãos!! Cuidado! Eles escondem sua doutrina anti-islamica e anti-religiosa de você.

 

O que a Ahmadiyya realmente ensina sobre Jesus:

Embora eles façam você acreditar que são da verdadeira religião islâmica, seu líder difama o nome de Jesus Cristo. Ele, por exemplo, escreveu (Deus nos perdoe por citarmos isto):

“Qual a sua opinião sobre o caráter do Messias? (É que Jesus) era uma pessoa alcoólatra e glutona. Que não era nem um abstêmio nem um piedoso adorador, Muito menos um verdadeiro visionário. Ele era orgulhoso e se auto proclamava divino.

            (Nur-ul-Quran, Roohani Khazain Vol 9 p.387)

Os membros desta seita seguem um homem chamado Mirza Ghulam Ahmad de Qadian. Ele fundou o movimento Associação Ahmadia em 1889. Ele afirmava ser o recebedor de Revelações e de ser o Messias prometido, Mahdi, Profeta, Mensageiro, Adam, Noé, Abraham, Ismael, Isaac, Salomão, Davi, Moises, Jesus e o Segundo Advento de Mohamed, todos em um só. Todos aqueles que não acreditam em suas profecias são declarados bastardos por ele. Por causa de suas crenças heréticas que são evidentes em seus escritos, Mirza Ghulam Ahmad e seus seguidores foram declarados desertores e excluídos do rebanho do Islã.

Parte de suas atividades direcionam-se aos cristãos.Já que esse homem afirma ser, entre outras coisas, o Messias Prometido, eles esperam apelar para a crença do Messias dos cristãos.

Jesus Cristo é um dos mais reverenciados Profetas dos cristãos e dos muçulmanos. Seguidores de ambas as religiões esperam a miraculosa segunda vinda para a salvação do mundo. Durante os últimos 1400 anos, muitas pessoas afirmaram ser o Messias Prometido. Mirza Ghulam o fundador da Associação Ahmadia, é um daqueles que se auto proclamaram Messias de seuséculo.

“Eu afirmo que sou o mesmo Cristo cujo advento nos últimos dias do mundo foi profetizado em todas as escrituras.” 

(Tufa-i-Gooladia, p.195)

(revelação) “(Árabe): Você certamente é o Messias, filho de Maria, de Mim; e você foi enviado para que a promessa feita antes dos tempos pelo Senhor da Honra fosse *****prida.”

“Eu afirmo que sou o Prometido do qual cada livro de Deus profetizou que irá aparecer no final dos tempos.” (Tohfa-e-Golravia, Roohani Khazain vol.17 p.295)

“Eu juro a Deus, que me enviou e me fez a Sua semelhança. Ele me enviou como o Messias Prometido.”

(Majmoo’a-e-Ishtiharaat vol 3 p.435)

Não se engane! Quando ele diz “Messias” ele não se refere ao sentido da Bíblia ou do Alcorão.

            “ Eu fui nomeado Messias...” (Anjam Autham, p.75; Haqiqat-ul-Wahi, p.294,339,72, por Mirza Ghulam)

Ele ainda revela seu status real quando ele proclama que Messias também quer dizer anti-Cristo...:

“O titulo ‘Messias’ foi conferido a pessoa honrada cujo toque é abençoado por Deus. E é também aplicado ao anti-Cristo cuja influencia maligna, calamidades, ateísmo e falta de fé propagaria. Essa é a conotação que foi transmitida a mim.” (Ayyam-us-Sulh, p. 59-60, por Mirza Ghulam de Qadian) [Caso você tenha a edição oficial em inglês de Tadhkirah, poderá verificar isso na p. 187]

E ele é um verdadeiro anti-Cristo, aqui está o que ele diz sobre Jesus – que Deus nos perdoe por citarmos estes escritos de Mirza Ghulam Ahmad – nós apenas os citamos para que você seja avisado!

“(Jesus) tinha o hábito de dizer obscenidade e freqüentemente usava linguagem suja” 

(Zamina Anjam-e-Atham. Roohani Khazain, Vol 11 p.289)

“Deveria ser lembrado que ele (Jesus) tinha de certa medida o hábito da mentira.”

(Zamina Anjam-e-Atham. Roohani Khazain, Vol 11 p.289)

“Uma pessoa astuta e vil que tinha a lama de Messias da cabeça aos pés.”

(Zamina Anjam-e-Atham. Roohani Khazain, Vol 11 p.289)

“(Quando na cruz) Jesus não pode retratar-se como um homem piedoso, pois as pessoas sabiam que ele era um alcoólatra glutão e esses péssimos hábitos não clamavam divindade, mas parecia que desde tenra idade ele tinha esses hábitos. Portanto, chamar divindade é um dos males provocados pelo alcoolismo.” (Satt Bachan, Roohany Khazaen, Vol. 20, P.296)

            “Ele (Jesus) não tinha nada a seu favor exceto esperteza e mentira.”

(Zamina Anjam-e-Atham. Roohani Khazain, Vol 11 p.291, addenda)

“Jesus na verdade sofria de epilepsia e esta é a razão pela qual ele costumava ver sonhos... Jesus na verdade tornou insano devido a epilepsia.” (Satt Bachan, Roohany Khazaen, vol.10 p.295)

Como chamar Jesus de insano não foi insulto suficiente, ele vai mais em frente e diz que Jesus curava os doentes com a ajuda de satã:

“E esta acusação dos judeus de que Jesus costumava fazer tal trabalho com a ajuda de Belzebu confirma esta opinião que é também muito satisfatória, porque Belzebu é também o nome da Satã. Essa acusação dos Judeus parece estar correta e plausível porque a razão pela qual que estão completamente sob a influência do espírito maligno, ou satã, embora sua própria epilepsia não esteja curada, ele pode curar outros. Porque satã os ama e não quer ser separado deles, mas por ter grande amor por eles, ele aceita seus pedidos e liberta outros desta satânica doença pelo bem deles. Tais conjurações sempre fazem uso de vinho e outras coisas imundas, bêbados e glutões são os primeiros.

Ele continua sua calunias e insultos:

            “Eu desejaria que tal pessoa (Jesus) nunca tivesse vindo ao mundo.”

            (Nur-ul-Quran, Roohany Khazaen, vol.9, p.417)

“Uma linda prostituta está sentada perto dele. Quase o abraçando. Às vezes ele massageia a cabeça dele com perfume ou segura os pés dele, em outro momento ela deita seu lindo cabelo negro nos pés dele enquanto brinca com a palma da mão. Nesta posição, o senhor Messias está sentado em êxtase. Se alguém levanta para discordar, este é repreendido. Além de sua juventude, dependência de bebidas alcoólicas, e sendo solteiro, uma linda prostituta está deitada em frente a ele tocando seu corpo contra o dele. É esse o comportamento de uma pessoa virtuosa? E qual evidencia ou prova há que Jesus não foi provocado sexualmente pela prostituta? ... O excitamento sexual que surgiu fez seu trabalho por completo. Esta é a razão pela qual Jesus não pode ao menos abrir a boca para dizer ‘Oh adultera! Afaste-se de mim’.”

            (Nur-ul-Quran, Roohany Khazaen, vol.9, p.449; Nur-ul-Quran, vol.2 p.9; Maktoobat-e-Ahmadia, vol.3, p.23-24)

Mirza Ghulam Ahmad insulta a família de Jesus:

            “Três gerações de avós maternas e paternas de Jesus eram fornicadoras e prostitutas de cujo sangue Jesus veio a existir.” (Anjam-e-Atham, Roohany Khazaen, Vol.11, P.291, addenda; Anjam-e-Atham, P.9, appendix)

“Jesus tinha inclinação por prostitutas talvez devido a sua relação ancestral com elas...”

(Anjam-e-Atham, Roohany Khazaen, Vol.11, P.291, addenda)

Mirza Ghulam Ahmad nega os milagres de Jesus:

            “Os cristãos têm escrito sobre os muitos milagres de Jesus, mas na verdade ele não fez milagre nenhum.”

            (Anjam-e-Atham, Roohany Khazaen, Vol.11, P.291, addenda)

Não é de se maravilhar que Deus Todo Poderoso possa ter dado a Jesus algum conhecimento tal como, apertando um dispositivo, um brinquedo de barro levante vôo ou ande. Porque o Messias, filho de Maria, trabalhou como carpinteiro com seu pai José por 22 anos. Nós sabemos que ele era capaz de inventar diferentes tipos de máquinas e instrumentos.

(Azalah-i-Auham, Roohany Khazaen, Vol.3 P.254)

“Muito provável que ele (Jesus, o Messias) pode ter curado algum cego ou alguma outra enfermidade por outros meios comuns. Devido a sorte, naquela época havia um lago, o qual foi a fonte destes grandes milagres. Pode se supor que ele usou a lama deste mesmo lago (mágico). A verdade destes milagres está relacionado ao lago.

            (Anjam-e-Atham, Roohany Khazaen, Vol.11, P.291, addenda)

“Os milagres do Messias eram sem valor e insignificantes devido ao lago, o qual era fonte dessas maravilhas antes mesmo do nascimento do Messias. Todos os tipos de doença, lepra, paralisia, etc costumavam ser curadas apenas com um mergulho neste lago.

(Azalah-i-Auham, Roohany Khazaen, Vol.3 P.263)

“…ele (Jesus) não fez milagre algum, aqueles não foram seus milagres e sim milagres devido ao lago. Ele não tinha nada a seu favor exceto esperteza e mentiras. 

            (Anjam-e-Atham, Roohany Khazaen, Vol.11, P.291, addenda)

Mirza Ghulam Ahmad acusa Jesus de falsas profecias:

             

“As profecias deste homem desamparado (Jesus), foram apenas que terremotos, fome, secas e guerras iriam ocorrer... Por que estes estúpidos Israelitas vêem estas ocorrências comuns como profecias?”

(Anjam -:- Atham, Roohani Khazaain Vol. 11, P. 288 addenda)

“Para aqueles que nós podemos expressar nossos lamentos que três profecias do Messias provaram ser falsas?” 

(Ajaz-i-Ahmadi, Roohany Khazaen, Vol.19, P.121)

“…A condição das profecias dele (Jesus) são piores do que os milagres. Que tipo de profecia é a sugestão de que terremotos irão ocorrer, vidas serão destruídas, guerras serão travadas, fomes irão acontecer? Mas triste que isto, é o fato que o número de profecias do Senhor Messias que não se tornaram verdadeiras é maior que aqueles que se tornaram verdade.”

(Azalha-i-Auham, Roohany Khazaen, Vol. 3, P. 106) 

Mais mentiras!

Uma das áreas problemáticas nos esforços missionários dos Ahmadis para iludir e prender as pessoa s em seu culto é que a doutrina Ahmadi é muito ofensiva e caluniosa com relação a Jesus. Os Ahmadis forjaram trapaças para faze-las soarem aceitáveis. Por exemplo, ele se referem ao exemplo quando Mirza chama Jesus de bêbado, e diz que a Bíblia dá exemplos onde “Jesus do evangelho” é mencionado bebendo vinho. Por isso, eles argumentam que não há nada de errado em chamar Jesus de bêbado – nós estamos apenas criticando o “Jesus fictício” que a Bíblia descreve, eles dizem, e não o Jesus real. (Futuros) Ahamadis aceitam esta explicação, e uma vez que eles tenham abraçado esta teoria, eles não questionam mais – pelo contrario, daí para frente eles começam a pregar as calunias também!!

È claro que outras declarações de Mirza que contradizem esta teoria, e que isto como um engano intencional, são cuidadosamente escondidas. Por exemplo, Mirza Ghulam escreveu:

            “Os Cristãos escreveram sobre muitos milagres de Jesus, mas o fato é que ele não fez milagre algum.” 

            (Anjam-i-Atham, Roohany Khazaen, vol.11, p.290, Adddenda, por Mirza Ghulam Ahmad de Qadian)

Caso a explicação da Ahmadiyya que Mirza insultou um ‘Jesus fictício do evangelho’ fosse verdade, então a declaração acima deveria mostrar o conteúdo do evangelho e o
Uma Súplica aos Irmãos Ahmadis
Posted by webmaster on Thursday, August 06 @ 03:02:20 AST (1044 reads)
(Read More... | 48053 bytes more | Score: 0)
All Topics

Movimento anti-ahmadia do Islã

Bismillah-al-Rahman-al-Raheem 

Uma Súplica aos Irmãos Ahmadis

Por

Ahtesham-ul-Haq Abdul Bari

Ex-Ahmadi de Bombay, Índia

A PAZ ESTEJA COM AQUELES QUE SEGUEM O HIDAYAH

 O irmão Mohammed Usman Saheb, é um membro ativo da Associação Ahmadia que mora em Bait-ul-Hamd, o centro Ahmadia em Karachi, Paquistão. Em nome de Mirza Tahir Ahmad Qadiani, Amir da Associação Ahmadia, ele recentemente entrou em Mubahila  (duelo de oração) com o Sr. Illias Sattar, por causa do livro deste ‘Pode a Associação Ahmadia responder?’. Eu estou pasmo que Mirza Tahir Ahmad esteja com medo de fazer o Mubahila pessoalmente e que enganou os seus seguidores fingindo fazer o Mubahila sentado em casa. Deste modo, eu achei que era o momento oportuno para relatar alguns fatos na esperança que Alá (Deus) lhes mostre qual é o caminho certo. Estes fatos são bem conhecidos para muitos de vocês, mas acham conveniente continuarem cegos.

A HISTÓRIA DE MINHA VIDA

Eu nasci Ahmadi, e desde minha infância até tornar-me adulto, 21 longos anos, não fui apenas um Ahmadi qualquer, mas um membro ativo da Associação Ahmadia e propaguei de forma zelosa a doutrina Ahmadi entre os não Ahmadis. Mesmo hoje, moro como locatário no mesmo prédio cujo dono é a Associação Ahmadia e que também é o Quartel-general da Associação em Mumbai, na Índia. Faz cinqüenta anos que meu pai foi convertido a Associação Ahmadia pelo Muballigh (missionário) Ahmadi, o Hakeem Mohammed Din, através da doutrina fraudulenta da vida e morte de Jesus. Naquela época havia pouquíssimas pessoas que tinham uma noção clara sobre a Ahmadia, também conhecida como Associação Ahmadia. Como o meu pai, muitos foram pegos na armadilha das crenças heréticas da morte e da descida de Jesus Cristo e os sinais celestiais dos eclipses Solar e Lunar. Normalmente não eram revelados a eles as verdadeiras crenças de Mirza Ghulam Ahmad Qadiani até que eles sofrerem uma lavagem cerebral suficiente para suportar a propaganda dos oponentes da Associação Ahmadia. As doutrinas onde Mirza Ghulam afirma ser Profeta e Mensageiro de Deus são normalmente explicadas bem mais tarde e com explicações tão estranhas que a maioria das pessoas acabam confusas. O meu pai converteu-se porque se impressionou com a conversa e os modismos do missionário Hakeen Mohammed Din e não por causa das crenças e escritos de Mirza Ghulam Ahmad. Na época, quando os muçulmanos boicotaram meu pai, ele se mudou para este prédio que é de propriedade da Associação Ahmadia e que abriga seu QG. Mais da metade dos locatários são Ahmadis.

 

De qualquer forma, abri meus olhos nesta ambiente e passei minha infância no colo da Associação Ahmadia. Sempre achei que a Ahmadia fosse o verdadeiro Islã e todos os não-Ahmadis fossem mal-guiados e descrentes. Meu pai era um Ahmadi muito dedicado, por causa das contribuições dele o seu nome foi afixado de forma permanente no cemitério Ahmadi Bahishtee Maqbaraq (em Qadian), Índia. Caso eu tivesse uma briga com um filho de Molvi (missionario) ou com filho de qualquer outro vizinho Ahmadi, meu pai chamava minha atenção.

Contudo com o decorrer do tempo, dúvidas começaram a surgir nos pensamentos de meu pai a respeito de Mirza Ghulam Ahmad e seus seguidores. Em fim quando a verdade veio à tona, ele se converteu ao Islã. Ele costumava dizer que a Ahmadia é uma falsa religião, mas eu sempre considerei-a como o verdadeiro Islã e costumava pregar a ele na esperança que ele voltasse para a Associação Ahmadia. Eu argumentava com ele sobre coisas como a morte de Jesus, etc, mas ele opunha-se dizendo que: “Isto é tudo uma fraude e enganação, estão nos mantendo no escuro; a verdade é que aos Ahmadis comuns dá-se apenas pequenos livros de propaganda da Associação Ahmadia e os livros escritos por Mirza Ghulam Ahmad nunca são mostrados”.

Meu pai secretamente aceitou o Islã, mas teve medo de revelar isto a Associação Ahmadia. Quando o  meu avô e minha avó morreram um após o outro, apesar da oposição da Associação Ahmadia, eles foram enterrados em um cemitério muçulmano. Associação Ahmadia começou a suspeitar, porém meu pai escondia sua fé porque teve que ficar no mesmo prédio e continuar seu pequeno comércio de balanças naquele mesmo lugar. Ele não tinha para onde ir. Ele perderia sue lar e negócio. Isto continuou por muito tempo.

 

OS MISSIONÁRIOS AHMADIS

O meu pai não participava na propagação da Ahmadia, mas eu era um membro tão dedicado que costumava ir entre os não-Ahmadis e abertamente pregava sobre a Ahmadia. No decorrer dos anos, os pregadores Ahmadis foram trocando. Alguns olhavam para as moças, outros apontavam com o dedo para a casa de mulheres e outros comentavam quando mulheres passavam: Olhe! Seu professor vai .... Entre eles estava Molvi Burhan Ahmad Zafar. Ele era jovem e esperto com uma raposa.

 

A Associação Ahmadia organizaria várias conferencias (Jalsas), que eram anunciadas bem antes, pôsteres eram colocados em diversos pontos da cidade, propagandas eram postas nos jornais. No dia da conferência, apenas cerca de 60 a 70 pessoas reuniram-se numa grande sala. Mas tarde estes missionários fariam uma falsa propaganda que a conferência fora extremamente bem sucedida.

Há uma família muçulmana sunni que mora ao lado do meu apartamento, o Sr. Abdul Qadir Dabbawala O missionário Molvi Burhan Ahmad Zafar dizia a mim e aos outros jovens Ahmadis para atormentar esta família para que eles desocupassem o apartamento. Encorajados pelo missionário, os jovens Ahmadis furavam os pneus do carro do Sr. Dabbawala, às vezes cortavam o fio do telefone e repetidamente cortavam o abastecimento de água. Várias vezes a Associação Ahmadia tentou mover uma ação de despejo contra a família para que se retirassem do apartamento, mas a justiça sempre dava a causa a favor da família muçulmana permitindo a estada. Uma vez a Associação Ahmadia reclamou com as autoridades policiais para que estes parassem com o Azan (chamada para oração) da mesquita muçulmana sunni. Depois de proibi-lo, a policia informou ao Sr.Dabbawala que ele também tinha o mesmo direito fazer o mesmo, impedir o Azan vindo da mesquita Ahmadia, mas ele recusou-se a fazer isso.

 

O FRACASSO DO MISSIONÁRIO MOLVI BURHAN ZAFAR

Por acaso naqueles dias, Molvi Burhan Zafar organizou uma Jalsa (conferência) em Bandra, uma área de Mumbai. Nesta conferência alguns muçulmanos não Ahmadis se levantaram e fizeram perguntas a Molvi Burhan, ao invés de responder as perguntas, ele pediu que eles visitassem a sede da Associação. Estes muçulmanos missionários distribuíram panfletos que mencionavam algumas profecias não *****pridas de Mirza Ghulam Ahmad, como o casamento com Mohammedi Begum e a morte de Abdullah Atham. Foi a primeira vez na minha vida que eu ouvi tais coisas e considerei estes muçulmanos mentirosos. De qualquer maneira quando vieram à sede da Associação Ahmadia eu estava lá. Eu queria ver a humilhação no rosto deles, mas o missionário Ahmadi e outros ficaram zangados com a minha presença e me mandaram embora dizendo que eu era muito jovem para tal reunião. Depois comecei a perguntar a Burhan e os outros a respeito da veracidade destas profecias não *****pridas, mas eles evitavam o assunto. Às vezes contavam a estória do profeta Jonas ou dizendo que todas as profecias foram *****pridas e que os clérigos muçulmanos estavam mentindo ou até dizendo não haver tal profecia mencionada nos livros da Ahmadia; depois usavam o pretexto que iriam trazer os livros e voltavam de mãos vazias dizendo que o livro havia sido emprestado a alguém.

 

Depois de testemunhar varias vezes tais atitudes, dúvidas começaram a surgir em minha mente. Por que é que os pregadores da verdadeira religião (Ahmadia) têm um caráter tão ruim?  Por que precisam fazer propaganda enganosa? O que é que eles escondem em seus livros? Decidi que precisava descobrir a verdade eu mesmo e pedi os livros originais de Mirza Ghulam Ahmad Qadian para examiná-los, mas meu pedido foi negado.

 

Meu pai me dizia para não fazer muitas perguntas aos missionários Ahmadis. Ele disse que eles haviam começado a perturba-lo. Fizeram reclamações a Receita (Imposto de Renda), polícia, prefeitura e até aos bombeiros. O missionário Maulvi Burhan entendeu que a lealdade da minha família estava em dúvida. No ano de 1990 meu pai ficou seriamente doente. Aproveitando do seu estado, o missionário Molvi Burhan levou para meu pai no hospital de Mirza Tahir Ahmad (neto de Mirza Ghulam e atual califa da Associação Ahmadia) um aviso de despejo do apartamento. Depois de ler a carta o estado dele repentinamente piorou. Briguei com Molvi Burhan e outros membros da Associação Ahmadia e até escrevi uma carta me queixando a Mirza Tahir a respeito dos frios atos destas pessoas, mas não houve resposta. No fim meu pai morreu deste choque em agosto de 1990. Os meus irmãos já não iam mais a mesquita da Associação, mas eu ainda era membro e tinha medo dos sinais celestiais e dos eclipses da lua e do sol e que de algum castigo divino que me aguardava. Quando o missionário Molvi Burhan nos chamou e tentou oferecer orações fúnebres ao meu pai, mas meus irmãos o impediram e o enterraram num cemitério muçulmano. Molvi Burhan nos chamou de Munafiqs em seu sermão de sexta-feira e disse que quem se opor a esta Jamaat (Associação) será destruído.

 

EXPULSÃO DA ASSOCIAÇÃO

Agora tudo estava claro. Os Ahmadis escreveram no Jornal AlBadr que nós fomos expulsos da Associação. Eu ainda estava confuso, mas quando Alá (Deus) escolhe hidayah para alguém ele também lhe oferece oportunidades. Ao mesmo tempo eu cheguei a ler alguns panfletos anti-ahmadia que responderam a todas as perguntas que me atormentavam. Em seguida os Ahmadis me disseram para não mais ir às mesquitas.

 

Logo depois jovens Ahmadis começaram a nos perturbar de forma sistemática. Em torno de dez a quinze rapazes encontravam-se em um apartamento ao lado do nosso e passavam a noite inteira cantando, gritando e batendo contra a parede. Eles estavam tentando nos provocar para que brigássemos e assim pudessem registrar queixa na polícia contra nós. Foram ao Ministério do Interior dizendo que éramos agentes paquistaneses, além de irem a  outras entidades do Poder Público, inclusive a justiça. Tentaram de tudo para nos prejudicar, psicológica, física e financeiramente. Nos chamaram repetidamente a delegacia para nos intimidar. A Associação ahmadia começou uma campanha propagandista incessante contra nós, dizendo que quem se opuser a eles seria destruído e teria que voltar à Associação. A Associação tentou todos os meios para que nós abandonássemos aquela casa, para nos arruinar e nos encarcerar para que no fim nos desculparmos e voltarmos a Ahmadia.

 

Quando tudo fracassou, eles conspiraram para me matar, mas o plano foi exposto. O homem que revelou o plano em seguida desapareceu. Até hoje eu não o vi novamente. A Associação Ahmadia também solicitou a ajuda dos Pathans de Mumbai para conseguir o apartamento de volta. Por fim contrataram bandidos de Mumbai para nos liquidar, mas AlHamdolillah isto não se materializou. Fizemos várias queixas a policia, mas eles pensavam que estávamos mentindo. Várias pessoas nos ofereceram ajuda contra a Associação, mas acabavam sendo comprados pela mesma.

 

CONFRONTO COM OS MISSIONÁRIOS AHMADIS

Nos últimos 14 anos eu tenho exigido os livros Roohani Khazaeen. De fato, se fossem honestos, teriam me deixado ler os livros. Mas eu sei que nunca me darão porque se eu tivesse esses livros, eu os mostraria a todos os Ahmadis ignorantes que tipo de lixo Mirza Ghulam Ahmad escreveu e assim expor suas mentiras. Eu declarei a Ahmadia uma crença falsa apenas pelo medo de Deus e pela Graça de Deus, Alhamdolillah, eu estou firme no Islã. Sou um seguidor verdadeiro e sincero do Islã e agora prego contra a Ahmadia. Que tipo de fraude é essa que diz para as pessoas sobre a vinda do Mahdi, a morte de Jesus enquanto evitam falar sobre o caráter de Mirza Ghulam Ahmad Qadian!

Depois do missionário Molvi Burhan, outro jovem missionário veio a Bombay. O nome dele era Basit Rasool Daar. Ele foi para Israel em seguida. Depois dele veio um outro chamado Shamshad. Todos vieram a minha mãe e tentaram convence-la a voltar para a Ahmadia, mas quando eu os convidei para um debate aberto, eles simplesmente fugiram.   

 

DR. ASHFAQ ACEITA O ISLÃ E BASIT RASOOL DAAR FOGE DO DEBATE 

Na sexta-feira, 10 de janeiro 1997, dois Ahmadis me convidaram para um debate na Mesquita da Associação Ahmadia depois das orações de sexta-feira, neste debate eles (Ahmadis) consideraram Mirza Ghulam Ahmad Qadiani só um Mahdi e não Profeta ou Mensageiro como alegado por nós. Eu propus que se eu provasse a eles nos escritos de Mirza Ghulam Ahmad que Ahmadis não apenas acreditam que ele é só um Mahdi, mas também um profeta e mensageiro, então todos eles deveriam renunciar a Mirza Ghulam e aceitar o Islã. Os Ahmadis que me convidaram para o debate aceitaram isso. Quando eu fui para a Mesquita da Associação Ahmadia na hora marcada ao lado do clérigo Maulana Sarfaraz e outros, os missionários Ahmadis esconderam essas pessoas e nós não pudemos continuar com o debate.

 

Molvi Basit Rasool Daar estava presente na ocasião. Maulana Sarfaraz aproveitou a oportunidade para lhe perguntar na frente de outro Ahmadis: Deus tem um filho? Ele negou isso. Eu lhe falei que Mirza Ghulam escreveu a sua revelação de Deus no seu livro, AlBushra vol.1 p.49 que: " O Meu Filho! Escute "! Basit Rasool rejeitou esta declaração dizendo: Isto não foi escrito por Mirza Ghulam e é uma mentira. Agora, Maulana Sarfaraz disse, peça-o que traga este livro da biblioteca e será mostrada essa citação. Basit Rasool Daar saiu do quarto e se refugiou em seu escritório de onde começou a gritar que Ahtesham trouxera um clérigo que nem mesmo conhece o Kalima. Então eu mostrei às pessoas presente cópias dos livros de Mirza Ghulam que revelam as convicções anti-islâmicas dele.   

Como resultado desta reunião, Dr. Ashfaq Saheb que foi um Ahmadi durante os últimos 5 anos e distribuía medicamentos homeopáticos gratuitamente as pessoas da sede da Associação, deixou a seita e aceitou o Islã. Desde de então várias pessoas em partes diferentes da cidade deixaram a Associação Ahmadia e entraram no Islã. Fa AlHamdolillah Ala Zaalik (Graças a Deus por isso).   

 

MOLVI  BASIT RASOOL DAAR FOGE DE MUBAHILA (DUELO DE ORAÇÃO) 

Meu tio, Basheer Moosa, mora em Qadian e é um ' Darwesh'. Ele pregou e converteu muitas pessoas para a Ahmadia. Mas ele não conseguiu responder as minhas perguntas satisfatoriamente e fugiu das discussões ao invés de me enfrentar. Finalmente ele se cansou e me deu uma carta/panfleto de Mirza Tahir Ahmad (neto de Mirza Ghulam) intitulada “Desafio Aberto de Mubahila para os Inimigos, Descrentes e Mentirosos”, e disse que esta é a resposta para esses que discordam. 

 

Assim quando eu fui desafiado para Mubahilla, eu aceitei. Eu escrevi uma carta e convidei Mirza Tahir e todos os pregadores da Associação Ahmadia, e não somente os Ahmadis comums, para Mubahilla. No dia 26 de julho de 1996, eu dei um requerimento por escrito a Molvi Basit Rasool Daar pedindo a ele que se estivesse no caminho certo, deveria vir ao encontro de Mubahilla. Mas ninguém veio apesar de repetidos lembretes. Então eu falei para Basit Daar que a falsidade dele esteve exposta e agora eu irei para Londres para fazer Mubahilla com Mirza Tahir pessoalmente.   

MIRZA TAHIR ESCONDE-SE NA CASA DELE E MOLVI ATA FOGE DA MUBAHILA

Eu informei a Basit Rasool Daar sobre minha viagem para Londres para fazer Mubahila cara a cara com Mirza Tahir. O Dr. Rashid também informou ao Quartel General em Londres sobre minha futura visita. Quando eu cheguei à Londres em setembro de 1996,  fui a Gressenhall Road Nº 16-18 (a sede da seita), a oração de sexta-feira prosseguia e me disseram que Mirza Tahir não poderia vir ao telefone. Por engano perguntei por Imam Sahib (Mirza Tahir) em vez de Molvi Saheb que os alertou imediatamente que eu não era Ahmadi. De qualquer forma ao chegar à sede os seguranças me impediram de entrar. Eles me perguntaram se eu era o Dr. Rashid? Eu respondi que não, insistindo em entrar. Eu disse: Me não permitem rezar nesta mesquita? Vocês podem me revistar e permitir a minha entrada. De qualquer maneira depois de algum tempo eles me permitiram entrar no complexo. Eu poderia perceber a atividade nervosa e agitada devido a minha presença. Eu fiz a ablução e rezei separadamente. Estava na hora da oração de Asr, e o pregador cujo nome eu acho que era Ata-ul-Mujeeb Rashed, conduziu as orações. Mirza Tahir parecia estar com medo de me ver e não apareceu para as orações. Depois das orações Ata-ul-Mujeeb tentou sair depressa mas eu o apanhei e lhe falei sobre a razão da minha visita.

Eu:   Eu vim aqui para fazer Mubahilla com Mirza Tahir.   

Ata:   Escreva em um papel, entregue para mim e a Mubahila está feita.   

Eu: Este método está contra o sunnah de Rasoolullah SAAW. Se você não quiser chamar Mirza Tahir, então você tem que fazer Mubahilla comigo. Mas ele começou evitando este tópico e quis se livrar de mim.   

Por fim ele me perguntou: Qual é sua posição para você vir fazer Mubahilla?   

Eu: No desafio de Mubahilla em1988, Mirza Tahir desafiou todos os inimigos, descrentes e mentirosos para Mubahilla. Não existe regra alguma que permita somente clérigos fazer Mubahilla. Então por favor, ou você chama Mirza Tahir ou você deve fazer Mubahilla comigo para que a Jamaat (Associação Ahmadia) esteja no caminho certo.

Ata absolutamente recusou aquela declaração dizendo: É Mirza Tahir quem deu o desafio e não eu. Você deveria fazer mubahilla com ele. 

Mas Mirza Tahir estava tão assustado que ele nem mesmo apareceu para as orações, nem quis conversar ou fazer Mubahilla comigo. Finalmente resolvi citar o seguinte versículo em árabe: Jaa alHaq wa zahaq albaatil. Veio a verdade e falsidade desapareceu.

Caros Irmãos Ahmadis!  

Por quanto tempo serão propagadas as mentiras que ninguém veio para aceitar o desafio de Mubahilla? A verdade é que vários clérigos muçulmanos aceitaram o desafiado de Mirza Tahir inclusive pessoas do Movimento anti-Ahmadia do Islã e irmãos da organização Khatme Nabuwwat. Por que estes pregadores Ahmadis fazem falsas declarações que ninguém veio para Mubahila? Eu gostaria que vocês percebessem a verdade. Por que as pessoas repetidamente desafiam Mirza Ghulam Ahmad Qadiani e a sua família para a Mubahilla? E por que outras pessoas fazem Mubahilla em lugar de Mirza Tahir? Pergunte-os por que não fazem a mubahilla eles mesmos? Pergunte-os: Por que Mirza Tahir se escondeu quando eu o procurei? Por favor  pergunte-os por que eles fazem com que os outros facçam as coisas que eles mesmos deveriam fazer? Não sabem eles que quando o Santo Profeta Muhammad SAAW convidou os cristãos de Najran para Mubahila, ele levou a família dele e foi para Mubahila. O certo é que Mirza Tahir Ahmad deve comparecer pessoalmente e fazer a Mubahilla cara a cara, mas eu sei que ele não fará isto nunca, porque sabe que seria sua perdição.

  A FUGA DOS MUBALLIGHS (PREGADORES) DOS DEBATES DE MUBAHILAS 

 Eu convidei Molvi Basit Rasool Daar para um debate sob proteção policial mas este recusou. Eu pedi que tomasse o Sagrado Alcorão em sua mão e declarasse que Mirza Ghulam Ahmad Qadiani foi verdadeiro em suas declarações, mas ele não conseguiu fazer isto. O Molvi Abdul Haq de Qadian abandonou o debate e fugiu. O Molvi Burhan Zafar continuou me desafiando a chamar os clérigos muçulmanos e organizar um debate; finalmente quando eu tive conhecimento suficiente, eu o desafiei para um debate e a Mubahilla,porém ele se recusou. Eu desafiei o atual muballigh Molvi Shamshad fro de Saheb para o debate e a Mubahila, ele tambémrecusou-se. POR QUE? Até quando vão fugir desta forma? Quanto tempo eles vão continuar enganando seus seguidores com suas mentiras? Quando Deus permitirá que esses Ahmadis percebam que estão sendo enganados por seus líderes e rejeitem isso? Mas para aqueles que querem viver uma vida de ilusão, não há nenhuma cura.   

Syed Abdul Hafeez E Sua Equipe de Voluntários
Posted by webmaster on Thursday, August 06 @ 02:55:22 AST (996 reads)
(Read More... | 19489 bytes more | Score: 0)
All Topics

 

Syed Abdul Hafeez

E

Sua Equipe de Voluntários

Syed Mahfooz Ali

Dr Ahmad Odeh

Irmão Iqbal Shaikh

Dr Syed Rashid Ali

E Outros

 

  

Syed Abdul Hafeez

Nasceu numa família religiosa em Badayoon no estado de Udder Pradesh na Índia em 1912. Ele recebeu educação formal na sua cidade natal. Desde cedo ele se rebelou contra o sistema educacional convencional existente, e decidiu se educar sozinho à sua própria maneira. Ele viajou muito e recebeu instrução em várias disciplinas da vida por vários professores. Esta forma de universidade livre lhe concedeu muita introspecção que na opinião dele nenhum tipo de educação formal pode conceder.

 

Depois da partição do sub-continente Indiano, ele migrou para o Paquistão, permanecendo por um breve intervalo em Karachi, ele resolveu ficar em um pequeno lugarejo próximo a cidade de Thatta, na área rural de Sindh, onde começou a ganhar a vida como agricultor.

 

Durante os últimos 35-40 anos, ele vem tentando conscientizar os moradores da área a respeito do Islã. A sua missão principal é de alcançar um estado de paz e harmonia com o Criador, acredita ele que, esta é a chave para todos os nossos problemas e a razão principal para se esforçar nesta vida. Acreditando firmemente no versículo do Sagrado Alcorão onde Deus declara categoricamente: “Em bem verdade! Na lembrança de Deus os corações encontram Paz”, ele ensina para seus estudantes como se lembrar de Deus Todo Poderoso em todos os aspectos da vida. Sua filosofia gira ao redor desta noção que “Paz está sempre dentro e não fora”. Toda a raça humana está se esforçando para conseguir esta paz e é esta busca pela paz que é a força principal atrás da evolução e do progresso de nosso mundo.

  

Assim que ele se estabeleceu, Sain Abdul Hafeez montou a entidade Bait-ul-Mukarram Trust. Vários projetos são administrados pela entidade. Educação, Cuidado Médico, Biblioteca, cursos profissionalizantes para Pequenas Indústrias e uma Mesquita, são algumas das áreas onde a entidade está atuando.  

 

Syed Abdul Hafeez viajou bastante dentro e fora de Paquistão e dissertou a uma audiência variada para espalhar a mensagem do Islã. Ele escreveu vários livros e folhetos, que são distribuídos de forma gratuita. Ele é contra o recebimento de doações e gasta tudo o que tiver disponível de seu próprio bolso. Porém, se alguém quiser compartilhar nestas obras beneficentes, ele não os nega a oportunidade.

 

Foi durante uma das suas viagens, em 1988, que uma cópia do desafio de Mubahila (duelo de oração) por Mirza Tahir Ahmad, o líder da comunidade Ahmadia, foi dada a ele. O que o enfureceu foi a maioria como Mirza Tahir Ahmad se dirigiu a toda a comunidade muçulmana, chamando-a de mentirosa e descrente (Kafir). Syed Abdul Hafeez decidiu aceitar o desafio. Desde então ele tem liderado o Movimento anti-Ahmadia no Islã. O motivo é duplo:

 

Alertar os muçulmanos sobre as falsas convicções de Mirza Ghulam Ahmad e as intenções maléficas do Movimento Ahmadia, de forma que eles não se tornem vítimas das heresias da seita Ahmadia; Para obrigar os ahmadis a defender seu falso messias e suas doutrinas heréticas, sem que estes recorram ao Alcorão ou Hadiths (tradições).

 

Pelo Graça de Deus, o Movimento anti-Ahmadia tem obtido ótimos resultados e a sua literatura está sendo distribuída em várias partes do mundo em vários idiomas, graças ao nosso time de voluntários.  

AlHamdollilah, estamos livres de qualquer obrigação com qualquer organização Governamental e não-governamental e conseguimos administrar sem assistência financeira.  

Deus diz: “Você ajuda Deus e Ele o ajudará a firmar seus passos”. Nós vimos uma demonstração prática disto. Em Deus confiamos e em Ele somente nós buscamos toda a ajuda. É Verdadeiramente uma honra poder fazer este tipo de serviço ao Islã. Eu estou certo que há mais pessoas com mais conhecimentos e recursos, mas Deus deu esta oportunidade a nós. Fa Al Hamdolillah (Graças a Deus).

 

Que Deus aceite nosso pequeno esforço. Que Deus proteja esta Comunidade de todos os tipos de males. Que Deus traga de volta os Ahmadis ao rebanho do verdadeiro Islã.

Amém.    

 

SYED MAHFOOZ ALI

 

Sr. Syed Mahfooz Ali nasceu na Índia em 1925. Graduou-se na universidade Aligarh e terminou seus estudos no campo de Engenharia na mesma instituição. Ele migrou para o Paquistão depois da divisão da Índia. Ele se estabeleceu em Karachi onde ele seguiu carreira em Engenharia Elétrica. Ele está residindo no Golfo Árabe desde os anos setenta. O Sr. Mahfooz foi um dos primeiros alunos de S. Abdul Hafeez e foi responsável por muitas obras de caridade. 

 

DR AHMAD M. OUDEH

O Dr Ahmad Oudeh é um palestino naturalizado na Suécia. Ele nasceu em uma família Ahmadi em uma cidade pequena de Kababir em Haifa no Monte Karmal, Palestina. Ele recebeu educação em Haifa e migrou para a Suécia em 1971 para fazer curso superior. Ele se formou na Universidade de Estocolmo e obteve um doutorado em psicologia. Ele ensinou na mesma Universidade até que assumiu seu posto atual como reitor de uma escola em 1994.

Durante sua carreira ele foi o membro mais ativo da Comunidade Ahmadia na Suécia. Em 1977 ele foi eleito Presidente da Associação dos Estudantes da Ahmadia do Norte Europeu e Presidente do Khuddam-al-Ahmadia (servo da Ahmadia). De 1978 a 1981 foi eleito Presidente da Associação Ahmadia/Missão ahmadia em Estocolmo. Em 1981 ele foi eleito membro do Shoura (conselho) e Presidente da Missão Ahmadia na Suécia, um posto que manteve até que ele renunciou a seita Ahmadia.  

O ano de 1989 foi o ponto decisivo na vida de Ahmad e seus dois irmãos. Pela Graça de Deus, Ahmad, Hasan – chefe da repartição árabe da Associação Ahmadia em Londres e Saleh - professor em uma Escola Ahmadi em Kababeer, saíram da Ahmadia e entraram no Islã. Foi uma experiência sem igual e muito dolorosa, porque eles tiveram que sacrificar tudo por causa da Imaan (Fé). Eles tiveram que deixar para trás os pais e outros membros da família e abandonar afiliações sociais e empresariais. Mas foi um preço pequeno pela fé. Fa AlHamdo lillah ‘ala Zalik (graças a Deus por isso).

Desde que aceitou o Islã em 1989, o Dr Ahmad e seus irmãos estão ativamente tentando conscientizar os muçulmanos do Norte Europeu e da Palestina sobre os desígnios maléficos e fraudulentos da Associação Ahmadia. Dr. Ahmad Odeh está especialmente envolvido com o Movimento Anti Ahmadia do Islã.  

Que Deus aceite seus sacrifícios e lhes de uma recompensa neste mundo e também no além. Amém.  

A verdade virá a tona e a falsidade perecerá; a falsidade est&
Posted by webmaster on Thursday, August 06 @ 02:49:21 AST (1801 reads)
(Read More... | Score: 0)
All Topics Movimento anti-Ahmadia do Islã Bismillah-al-Rahman al-Raheem

 

A verdade virá a tona e a falsidade perecerá; a falsidade está fadada a desaparecer

 

O Sagrado Profeta Muhammad SAAW disse:

O Mahdi será da minha família, dos descendentes de Fatimah (Abu Dawood)

 

Qualquer pessoa da Associação Ahmadia que provar que essas citações estão erradas, receberá uma recompensa de Rs 500.000  ($10.000,00 USD) oferecida pelo Dr. Syed Rashid Ali & Ahtesham-ul-Haq Abdul Bari (ex-membros da Associação Ahmadia) do Movimento anti-Ahmadia do Islã.

 

Caros amigos da Associação Ahmadia!

 

            Vocês acreditam que Mirza Ghulam Ahmad Qadiani é uma pessoa confiável, não é?....

            É claro que acreditam.

 

Vocês acreditam que Mirza Ghulam Ahmad Qadiani é o Imam Mahdi cujo advento foi profetizado pelo Sagrado Profeta Muhammad SAAW, não é?...

            É claro que acreditam.

 

            Vocês acreditam que Mirza Ghulam Ahmad Qadiani é livre de mentiras e contradições, não é?....

            É claro que acreditam.

 

            Vocês têm fé nos seguintes escritos de Mirza Ghulam?

 

“Os escritos de uma pessoa confiável, inteligente e de coração puro nunca contém contradições. E se alguém é lunático e tão hipócrita que apenas para lisonjear ele concorda sem pensar, seus escritos sem dúvida tornariam-se contraditórios.” (Sat Bachan, Roohani Khazain vol.10 p.142)

 

            “Nenhuma pessoa sábia ou sã nunca acreditará em duas crenças tão diferentes.”

(Izala-e-Auham, Roohami Khazain vol.3 p.275)

 

“Os escritos de um mentiroso certamente conterão contradições”

(Zamima Braheen Ahmadiyya parte 5, Roohani Khazain vol.21 p.275)

 

Caros amigos da Associação Ahmadia!

Certamente vocês acreditam no que está escrito acima. Agora nós damos a vocês a chance de provar quanta fé vocês têm em Mirza Ghulam Ahmad e de provar se vocês estão no caminho certo ou não. Ou será que vocês foram enganados. Leiam as seguintes citações de Mirza Ghulam cuidadosamente, leiam e releiam, e tenham certeza que nada foi deixado para trás.

 

“E a razão do nome “Mahdi” como já foi narrado, é que ele não aprenderá nada com os Sábios e será guiado por Deus, assim como Deus guiou o Profeta Muhammad SAAW, ele obteve conhecimento de Deus apenas.” (Najm-ul-Huda, Roohani Khazain vol.14 p.90)

 

Mas por outro lado, ele disse:

 

“Na minha infância, minha educação foi feita de uma maneira que quando eu tinha 6,7 anos, um professor que falava persa, foi indicado para me ensinar o Sagrado Alcorão e alguns livros persas e seu nome era Fazal Ilahi. E quando eu tinha 10 anos, um professor árabe foi indicado para minha educação e cujo nome era Fazal Ahmad. Quando eu tinha 17 ou 18 anos, eu tive a oportunidade de ser educado por outro Molvi Sahib, cujo nome era Gul Ali Shah.”

 (Kitab ul Bariyah, Roohani Khazain vol. 13 p.180-181)

“Eu não afirmo que sou aquele Mahdi que de acordo com (palavras de Hadith) do filho de Fátima e de minha descendência etc.”

(Braheen-e-Ahmadiyya V, Roohani Khazain vol.21 p.356)

 

“Nós admitimos que muitos Mahdis podem ter vindo antes e possivelmente virão no futuro também, e provavelmente alguém cujo nome é Imam Muhammad pode também aparecer.”

            (Roohani Khazain vol.3 p.379)

 

Caros amigos da Associação Ahmadia! Estes escritos não provam as mentiras e contradições de Mirza Ghulam? Pode um mentiroso ser Imam Mahdi AS? Vocês ainda insistem que Mirza Ghulam Ahmad é Imam Mahdi, a segunda vinda de Jesus?

Do Movimento Anti-Ahmadia, nós oferecemos uma recompensa de Rs. 500.000 (=US$ 10.000) em dinheiro para o primeiro dentre vocês que puder provar em qualquer tribunal do mundo que essas citações estejam erradas e que portanto Mirza Ghulam é o Imam Mahdi, a segunda vinda de Jesus Cristo

II - A ASSOCIAÇÃO AHMADIA PODE RESPONDER? Por Illias Sattar
Posted by webmaster on Thursday, August 06 @ 02:46:50 AST (1176 reads)
(Read More... | Score: 0)
All Topics

Campanha de Conscientização sobre a Ahmadia

 

Em nome de Alá, o primeiro e único. Seu amor e paz estejam sobre Syedna Muhamaad, após quem não há Profeta e sobre sua família e companheiros.

 

A ASSOCIAÇÃO AHMADIA PODE RESPONDER?

Por Illias Sattar

 

Recompensa em dinheiro Paq. Rs. 10.000.000(aproximadamente US$ 250.000,00)

Mirza Ghulam Ahmad afirma ser o Imam Mehdi e o Prometido Messias, O QUE AGORA FOI CONCLUSIVAMENTE PROVADO FALSO.

            Se alguém puder provar que os pontos deste artigo estejam errados na Justiça de qualquer país neutro como Reino Unido, EUA, Alemanha, Japão, Brasil, etc., receberá uma quantia em dinheiro equivalente a

Paq. Rs. 10.000.000 (US$ 250.000,00)

 

 

NOTA INTRODUTÓRIA

 

Mirza Ghulam Ahmad de Qadian, Índia, clamou ser o Prometido Messias e Mahdi. Ele estabeleceu o movimento Ahmadiyya em 1891 e começou a propagar sua fraudulenta doutrina em nome do Islã. Mirza Ghulam Ahmad morreu de cólera em 1908.

A Associação Ahmadia ( os Quadianis/Ahmadis) sempre foi muito agressivo em suas pregações enquanto que os verdadeiros mulçumanos tem se mantido à parte ou mansos em suas articulações. Mas agora pela graça de Deus a situação está mudando. A Associação Ahmadia está assustada com os holofotes. Graças a Deus eles foram derrotados intelectualmente. Um proeminente Ahmadi, Sr. Ahmad Baksh Channa, um Ahmadi Murabi (pastor) por anos, largou a Associação Ahmadia em favor do Islã junto com muitos outros que testemunharam este debate escrito.

 

No seguinte artigo, Mirza Ghulam Ahmad Qadiani afirmou ser o Mahdi e o Prometido Messsias. O que foi conclusivamente provado estar errado por trazer à tona, contradições dos seus próprios argumentos em seus livros. O argumento principal de Mirza Ghulam, que era ser deslumbrante como o sol e que de acordo com seus seguidores fazia os oponentes fugirem como cordeiros do leão, foi provada errada sem a menor dúvida. Desde que o erro destas afirmações foram expostas, Mirza Ghulam afirma ser um Nabi ou um Profeta, o que automaticamente se torna falso. Um verdadeiro Nabi (enviado de Deus) não faz falsas afirmações.

 

Este artigo foi originalmente publicado em 1982. Mais de 14 anos se passaram e ninguém foi capaz de negar os pontos deste artigo ou provar o contrário. Os pontos deste artigo foram apresentados duas vezes ao IV Califa, Mirza Tahir Ahmad Qadiani (o neto de Mirza Ghulam), mas ele manteve total silêncio. Eu até mesmo entrei na Ahmadia Hall, um mosteiro Ahmadi em Magazine Line, Karachi, onde distribui este artigo na entrada e falei com aqueles que entravam para rezar. Eu também compareci ao funeral de um sábio Qadiani. Tanto no cemitério quanto no ônibus voltando do funeral, eu expliquei o artigo para os presentes. Em 4-7-1983 o Sr. Rahim Younus Qadiani escreveu de Dhaka, Bangladesh, que um sábio Ahmadi irá me responder. Quase 13 anos se passaram mas até agora não houve nenhuma resposta. Naseem Ahmad, deu uma resposta a “Associação Ahmadia pode responder?” entitulada, “Uma Resposta Ahmadia”. O neto do Kalifa Mirza Tahir, Mubasshir Ahmad escreveu-a no computador. Entretanto, após quase 5 horas de discussão ele disse que havia entendido a pergunta só naquele momento e prometeu retornar com uma resposta correta. Foi embora e nunca mais retornou.

 

Eu tenho escrito discussões com muitos outros Ahmadis também. Aqueles interessados podem conseguir cópias de tal correspondência comigo. È interessante ver como eles expressam diferentes pontos de vista do que Mirza Ghulam Ahmad escreveu. Muitos Ahamdis admitem que Mirza Ghulam cometeu um erro, mas eles usam o pretexto que Mirza Ghulam era um ser humano e portanto poderia cometer erros. Entretanto o tempo os fará perceber se Deus quiser que este não foi um pequeno erro. Este grave erro foi cometido enquanto tentava provar suas afirmações de ser o Imam Mahdi e Prometido Messias (a segunda vinda de Jesus Cristo). Se os argumentos postos provem que a afirmação de Mirza Ghulam é errado, naturalmente a afirmação também era errada. Se uma afirmação está errada, toda a Ahmadia torna-se um pilha de destroços ( uma farsa).

 

Eu ofereci US$ 250.000 para qualquer Ahmadi que pudesse provar errado este artigo. Naseem Ahmad de Karachi, Paquistão, agora nos EUA, acusou-me que o dinheiro não seria pago se eu perdesse o caso. Eu disse que os juízes estariam satisfeitos com o depósito em juízo do dinheiro antes do início do caso. Ele disse que para começar o caso seria necessário US$ 15.000 em dinheiro. Eu mesmo o ofereci US$ 15.000 em antecedência, o que ele recusou a aceitar. Ele já sabia no fundo da alma que seria um perdedor? Acho que sim, porque ele nunca mais retornou para aceitar minha oferta.

 

Os fatos mencionados neste artigo , os quais embaraçaram a Associação Ahmadia durante as discussões, foram retirados dos seguintes 4 livros de Mirza Ghulam:

 

 

 

1. Masih Hindustan Mein

2. Chasma-e-Masihi

3. Anjam-e-Atham

4. Kashti-e-Nuh

 

 

Um interessante avanço é que o atual califa de Associação Ahmadia (Mirza Tahir Ahmaad, neto de Mirza Ghulam) preveniu seus seguidores sobre mim. Ele falou por mais de duas horas na chamada Televisão Muçulmana Ahmadia que uma “FITNA” (tentação) está a caminho e que eles devem manter a fé contra esta tentação. Ele lembrou os seus seguidores dos milagres os quais devem ser lembrados enquanto enfrentando a tentação. Mencionando o acidente de avião de Zia ul Haq (presidente do Paquistão), e afirmando que esse acidente aconteceu por causa do que ele fez aos Ahmadis.

 

Obviamente esta é uma derrota intelectual para o califa e para toda o movimento Ahmadia. Ao invés de vir com argumentos lógicos para contra atacar minhas provas, o califa buscou refúgio nos chamados milagres. Milagres ou talvez algum acidente? Deus sabe melhor. Eu estou produzindo esse artigo como um desafio para todos os Ahmadis. Tentem provar que meus argumentos estão errados na justiça e ganhe R$ 10.000.000          (US$ 250.000,00).

 

I - A ASSOCIAÇÃO AHMADIA PODE RESPONDER? Por Illias Sattar
Posted by webmaster on Thursday, August 06 @ 02:44:05 AST (962 reads)
(Read More... | 20177 bytes more | Score: 0)
All Topics

Campanha de Conscientização sobre a Ahmadia

 Em nome de Alá, o primeiro e único. Seu amor e paz estejam sobre Syedna Muhamaad, após quem não há Profeta e sobre sua família e companheiros.

 A ASSOCIAÇÃO AHMADIA PODE RESPONDER?

Por Illias Sattar

 Recompensa em dinheiro Paq. Rs. 10.000.000(aproximadamente US$ 250.000,00)

Mirza Ghulam Ahmad afirma ser o Imam Mahdi e o Prometido Messias, O QUE AGORA FOI CONCLUSIVAMENTE PROVADO FALSO.

            Se alguém puder provar que os pontos deste artigo estejam errados na Justiça de qualquer país neutro como Reino Unido, EUA, Alemanha, Japão, Brasil, etc., receberá uma quantia em dinheiro equivalente a

Paq. Rs. 10.000.000 (US$ 250.000,00)

 ARTIGO PRINCIPAL

 Quando Mirza Ghulam Ahmad Qadiani, fundador do movimento Ahmadia clamou ser o Prometido Messias e Mahdi, ele foi lembrado sobre o retorno de Hazrat Isa ibne Maryam (Jesus Cristo) dos céus. De acordo com a crença Muçulmana, Hazrat Isa (Jesus) descerá dos céus em Damasco e com Imam Mahdi trabalhará para propagar o Islã. Mirza Ghulam Ahmad negou a verdade desta crença muçulmana e disse que Jesus morreu.

 Mirza Ghulam Ahmad rejeita um dos fundamentos da doutrina islâmica, que é o da segunda vinda de Hazrat Isa ibne Maryam (Jesus Cristo). Mais exatamente Mirza Ghulam disse que Jesus morreu de morte natural e ainda situou a sepultura na rua Khanyar, Srinagar, Kashmir. Mirza Sahib escreveu um livro “Jesus na Índia” onde dá um relato detalhado do que realmente aconteceu na cruz, de acordo com ele, Jesus foi colocado na cruz pelos judeus na sexta-feira; Jesus desmaiou e os judeus pensaram que ele estava morto. Ele foi enterrado, mas três dias depois recobrou a consciência e saiu da sepultura, na época com 33 anos. Após isso, encontrou-se com seus discípulos e secretamente migrou para Índia, onde morreu com 120 anos.Vamos ver os seguintes trechos deste livro:

             “Por isso, eu provarei neste livro que Jesus (a paz esteja com ele) realmente não morreu na cruz, nem se elevou aos céus, nem pode ser esperado que ele retornará a terra dos céus; digo mais, ele morreu com 120 anos em Srinagar, Kashmir, e sua sepultura está em Khanyar, região de Srinagar”.(Maseeh Hindustan Mein, Roohami Khazain vol.15 p.14)

             “Autentica narração de Hadith prova que nosso Sagrado Profeta (pbuh) disse que Maseeh viveu até a idade de 120 anos. E isto é ACEITO POR TODAS AS DIVISÕES DO ISLÃ que na pessoa de Jesus duas qualidades estavam combinadas, as quais não estão presentes em nenhum outro profeta. Primeiro, ELE VIVEU TODA A SUA VIDA (ele viveu por 125 anos). Segundo, ele viajou por quase todas as partes do mundo... agora é óbvio que se ele tivesse ascendido aos céus aos 33 anos, então a Tradição de 125 anos não estaria correta, nem ele poderia ter viajado por todos estes lugares em uma idade tão jovem quanto 33 anos. Estas Tradições não são apenas mencionadas no autentico e antigo livro de Hadith, mas elas são tão populares entre muçulmanos que nenhuma outra pode ser imaginada tão famosa.  (Maseeh Hindustan Mein,(Messias na Índia) Roohami Khazain vol.15 p.55-56)

 A era cristã (DC) começa com o nascimento de Hazrat Isa ibne Maryam (Jesus) em 1 DC. Jesus de acordo com Mirza Sahib morreu com 120 anos, o que significa 120 DC. Agora vamos examinar o seguinte trecho de “Anjam-e-Atham” escrito por Mirza Ghulam Ahmad:

             “O Sagrado Alcorão claramente diz que o Masih foi elevado aos céus após sua morte. Portanto, sua descida é simbólica e não real. E no verso  “Falamma Tawaffeteni”foi claramente manifesto que que a morte de Hazrat Isa (pbuh) já aconteceu. O significado do verso é que os cristãos perderão o caminho após a morte de Hazrat Isa (pbuh) e não durante a vida dele. Então se nós assumirmos que Hazrat Isa (pbuh) não está morto, então nós teremos que concordar que os cristãos não estão ainda desviados, e isto é absolutamente falso. Além, o verso diz que os cristãos permanecerão com fé somente até o tempo de vida de Hazrat Isa (pbuh). Disto, torna-se conhecido que a corrupção já havia começado a época dos Discípulos. Se o período dos discípulos foi tal que os cristãos ainda continuam no caminho certo, então neste verso Allah não teria ligado-o com o tempo de vida apenas de Hazrat Isa (pbuh), mas também teria incluído o tempo de vida dos discípulos também. Portanto, nesta conjectura um ponto muito interessante no período de corrupção no cristianismo está ilustrado e o qual na verdade, durante o tempo dos discípulos, as sementes de SHIRK (associando um parceiro a Deus) foram semeadas no cristianismo. (Anjam-e-Atham, Roohami Khazain vol.11 p.321)

 OS PONTOS IMPORTANTES DO TEXTO ACIMA SÃO:

 

Mirza Ghulamdá supostas provas de que Jesus morreu com 125 anos.

Os cristãos só estavam no caminho certo durante a vida deJesus.

Ele não foi feito Deus ou filho de Deus durante sua vida.

Sementes de SHIRK (Trindade) foram semeadas após a morte de Jesus. Durante a vida de Jesus não há possibilidade de tal digressão. Mirza Ghulam cita o verso de “Falamma Tawaffetini” (5:117) do Alcorão, sugerindo que Alá está garantindo proteção de tão venalidade apenas durante a vida de Jesus.

Desde que Mirza Ghulam afirmou em seu livro “Jesus na Índia” que Jesus morreu em 120 DC, portanto semeando as sementes da Trindade (SHIRK) associando parceiros com Deus não poderia ter acontecido antes de 120 DC. Isto significa que Hazrat Isa foi feito Deus e filho de Deus apenas depois de 120 DC. Antes de 120 DC nenhum homem poderia ter a crença que Hazrat Isa é Deus ou filho de Deus. Portanto o ano 120 DC torna-se a data mais importante.

 Agora vamos examinar alguns trechos de um outro livro de Mirza Ghulam Ahmad, Chashma-e-Masihi (Rohani Khazain vol.20):

             “Todas as coisas ruins foram introduzidas nesta religião (cristianismo) por Paulo. Hazrat Isa era uma pessoa tão sem egoísmo que ele mesmo não queria que ninguém o chamasse de piedoso, mas Paulo o fez Deus.” (Chashma-e-Maseehi, Roohani Khazain vol. 20 p.375)

             “E desde o começo, ele (Paulo) implantou a semente ruim da Santíssima Trindade em Damasco. E é por causa disto que Hadith Shareef sugestionou que o futuro Messias descera na parte leste de Damasco. (Chashma-e-Maseehi, Roohani Khazain vol.20 p.377)

 Neste livro, Chasma-e-Masihi, Mirza Ghulam Ahmad claramente afirma que São Paulo foi responsável pela doutrina da Santíssima Trindade e portanto tornando Jesus em Deus. È bem conhecido o fato que São Paulo morreu em 64 ou 67 DC. Os 100’ dão o ano de sua morte como 64 DC. A Enciclopédia da Religião e Ética diz:

 

            “ Que ele sofreu o martírio em Roma não há duvida... a data está entre 64 e 67 DC, mais próxima provavelmente da primeira do que da ultima.” (Enciclopédia vol.9 p.694)

 ARGUMENTOS FINAIS

 No livro “Jesus na Índia”, Mirza Ghulam provou que Jesus morreu em 125 DC.

No livro “Anjam-e-Atham”, Mirza Ghulam claramente afirmou que as sementes da Trindade não foram semeadas até 120 DC.

No livro “Anjam-e-Atham”, Mirza Ghulam claramente afirmou que São Paulo fez Jesus Deus.

Paulo morreu em 64 ou 65 DC enquanto que Jesus morreu em 120 DC. Portanto, Paulo morreu pelo menos 55 anos antes de Jesus.

Já que Paulo deve ter ensinado a doutrina da Santíssima Trindade durante sua vida, isto significa que Jesus foi proclamado Deus pelo menos 55 anos antes de sua morte. Em outras palavras, em 65 DC Jesus foi proclamado Deus/Filho de Deus 55 anos antes de sua morte (120 DC).

Enquanto ele (Jesus) estava vivo na Kashimira, estava sendo ao mesmo tempo adorado como Deus.

Portanto o comentário de Mirza Ghulam sobre o verso 5:117 (Falamma Tawaffetini) do Sagrado Alcorão, no livro “Anjam-e-Atham”, no qual ele diz, que os cristãos proclamaram
OS CRIMES SEXUAIS DA HIERARQUIA AHMAD
Posted by webmaster on Thursday, August 06 @ 02:37:11 AST (1124 reads)
(Read More... | 34080 bytes more | Score: 0)
All Topics

Movimento Anti Ahmadia do Islã

  

Al Hafiz B.A. Masri 

Estrada de Hurst 7

Molesey oriental 

SURREY KT8 9AQ 

Inglaterra 

Para  

Sr. Mirza Tahir Ahmad

Amir Jamaat Ahmadiyya  

Estrada de Gressenhall 16-18

SW18 5QL Londres

Inglaterra  

 

1. Seu secretário Sr. Rashid Ahmad Chaudhry, me enviou uma carta (não datado) por Entrega Registrada desafiando-me em seu nome a aceitar seu desafio de Mubahilla, o mesmo que você ofereceu a seus oponentes da Associação Ahmadia no dia o 10 de junho de 1988. Esta carta, junto com uma cópia de seu desafio chegou a mim em 5 de agosto de 1988.  

 

2. Me dá grande prazer aceitar seu desafio e valer-me desta oportunidade para expor a hipócrita fraude da seita Ahmadia de uma vez por todas.  

 

3. Mubahilla é um tipo de prova de fé na qual dois grupos pedem a Alá para estabelecer a verdade ou falsidade do assunto em discussão.Considerando que Mubahilla é uma questão séria de solenidade extrema, é oportuno que nós estabeleçamos seus artigos diretamente entre nós dois  ao vez de negociar por nossos secretários, assim evitando qualquer possibilidade de ambigüidade ou incerteza no resultado final.  

 

4. Na página 4 de seu desafio, você concedeu a aqueles que aceitarem seu desafio, livre escolha para retirar qualquer cláusula dos artigos você listou. Eu escolho aceitar os artigos que você escreveu em página 2 com estas palavras:

“O segundo aspecto deste Mubahilla diz respeito às totalmente falsas acusações e

a propaganda de enganosa contra a comunidade de Ahmadia.” 

 

5. Já que minhas acusações são sobre assuntos de depravação moral e promiscuidade sexual de uma natureza que geralmente não é própria para ouvidos educados, é preciso ser explicado por que eu sinto justificado e moralmente obrigado a fazer estas acusações imodestas como assunto para isto ' Mubahilla'.

 

6. Normalmente nenhum indivíduo tem o direito de julgar um outro indivíduo. Porém quando uma pessoa assume uma posição de confiança e responsabilidade moral, ele se torna personifica em uma instituição e perde a prerrogativa dele como um indivíduo. Em qualquer sociedade civilizada, Médicos, Professores, Responsáveis por Casas de Indigentes e Orfanatos, e funcionários de todas as tais instituições se tornam abertos à censura moral e ética, além de Lei Estatutária. Um das razões pela qual os charlatões religiosos e impostores permanecem sem se constranger pela exploração de pessoas simples e crédulas é que os Governos de Estados Seculares não se sentem inclinados a interferir em assuntos espirituais. É deixado para a sociedade regular livremente os assuntos de suas respectivas instituições religiosas e estabelecimentos.  

 

7. Minha segunda justificativa é que a Seita Ahmadia começou a violaras normas civis de ética sexual não como indivíduos mas como uma instituição em nome do Islã. Parem de se chamar de muçulmanos, dêem a si próprios qualquer outra designação como uma nova religião e os muçulmanos prazerosamente os deixarão em paz. 

 

 

 

 

 

8. Minhas acusações não são contra a Associação Ahmadia em geral. Há muitos entre eles que acreditam honesta e sinceramente na doutrina Ahmadi, embora erradamente. Nós não reagimos desta maneira contra todas as pessoas de outras religiões, só quando o estilo de vida deles torna-se uma ameaça a estrutura ética de uma sociedade, na qual as pessoas são sufocadas. Se há degenerados neste mundo que estejam dispostos a sacrificar o honra e castidade de suas mulheres e garotos por devoção a seus facínoras religiosos, sorte para eles. Entretanto o ponto primordial surge quando insuspeitas e inocentes vítimas são presas de tais mentiras. Nesta situação você sente-se justificado em gritar do topo dos telhados: Cascavéis.

  

9. É com este senso de responsabilidade moral e solicitude genuína é que eu aceito seu desafio de Mubahilla estabelecendo assim se as acusações seguintes são verdades ou falsas: MINHA REIVINDICAÇÃO QUE ELAS SÃO VERDADES É BASEADA EM CONHECIMENTO PESSOAL ADQUIRIDO DURANTE MINHA VIDA EM QADIAN (ÍNDIA), ONDE EU NASCI E VIVI ATÉ 1937, QUANDO EU DENUNCIEI O QADIANISMO.  

   

O JURAMENTO DE MUBAHILLA

 

10. Você declarará em juramento, nas palavras colocadas, que as declarações abaixo mencionadas feitas por mim são falsas; e eu declararei juramento nas mesmas palavras que eles são verdadeiras:

 

11. " Eu Mirza Tahir Ahmad ( Filho de Mirza Basheer-ud-Din Mahmood Ahmad filho de Mirza Ghulam Ahmad, o Fundador da Associação Ahmadia), o Amir presente da seita de Qadiani da Associação Ahmadia, declaro sob juramento em nome de Alá querelo que eu sei, as declarações abaixo mencionadas por Al-Hafiz B-A Masri, filho do Xeque Abdul Rahman Masri, são falsas e que eu não tenho nenhum conhecimento para efeito que elas são verdadeiras. Eu rezo e peço a Alá que no caso de eu estar perjurando por vontade própria, proferindo falsas evidências enquanto em juramento, eu posso ser amaldiçoado por Alá e posso morrer dentro de um ano da data de tal ato e assino este juramento na presença de seis testemunhas, três das quais serão selecionadas por mim e três serão selecionadas por Al-Hafiz Basheer Ahmad Masri".  

 

Assinado por: seis testemunhas                     Assinado por Mirza Tahir Ahmad. 

MIRZA GHULAM QADIANI - Sua vida num relance - Cronologia de eventos importantes
Posted by webmaster on Thursday, August 06 @ 02:27:04 AST (1068 reads)
(Read More... | 63341 bytes more | comments? | Score: 0)
All Topics

Movimento anti-ahmadia do Islã

MIRZA GHULAM QADIANI

 Sua vida num relance

 Cronologia de eventos importantes

 Produzido pelo Dr. Syed Rashid Ali

 

839/40            

Mirza nasceu de Chiragh Bibi e Ghulam Murtaza 

1846

Educação formal com Alcorão, Hadith (tradições) começa em casa com o professor Molvi Fazl Ilahi  

1849

Prof. Molvi Fazal Ahmad ensina a ele várias matérias.  

1852/53 

Primeiro casamento com Hurmat Bibi, aliás Phajje di Maan. Ela deu a luz a dois filhos, Sultão Ahmad e Fazal Ahmad.  

1857/58 

Gul Ali Shah lhe ensina gramática árabe etc.  

1857

Guerra da Independência, também conhecida como amotinação indiana.   Para provar a lealdade ao Raj britânico, o pai de Mirza doa 50 Cavaleiros Armados para lutar contra os muçulmanos na Guerra da Independência.   Mirza Ghulam Qadir, irmão mais velho de Mirza Ghulam que serviu na 46ª Divisão do Exército britânico sob o comando do General Nicholson matou vários lutadores da liberdade próximo a Sialkot (hoje Paquistão).  

1864 

Mirza foge de casa com a pensão anual do pai e gasta o dinheiro com besteiras.

1864-68 

Mirza começa a trabalhar como funcionário de cartório no tribunal britânico a Sialkot.   Faz exame de advocacia mas é reprovado.   Mirza faz amizade com um padre cristão britânico cujo papel foi importante mais tarde.

1868 

Uma Comissão Parlamentar de Inquérito veio da Inglaterra para descobrir meios para controlar e subjugar o espírito de Jihad entre os muçulmanos.   Mirza renuncia ao trabalho de funcionário de cartório e parte para Qadian. Se apresenta como um debatedor de assuntos islâmicos.  

1870

Relatório da Comissão Parlamentar de Inquérito “A Chegada do Império britânico na Índia entregue ao Parlamento britânico”. O relatório recomendou a criação de  um Profeta Apostólico, ou seja um falso profeta, para subjugar o Espírito de Jihad dos muçulmanos.  

1871   

Mirza Ghulam Ahmad foi eleito para o posto de Profeta Apostólico.  

1877   

Ocorrência criminal registrada contra ele pelas autoridades dos correios.

1879

Clamou ter sido nomeado por Deus para comprovar a veracidade do Islã. Anuncia que pretende escrever Braheen-e-Ahmadiyya em 50 volumes.   Procura ajuda financeira e pagamentos de antemão para publicar Braheen-e-Ahmadiyya.  

1879-84

Publica quatro volumes de Braheen-e-Ahmadiyya

1884

adiante

Para de escreve Braheen-e-ahmadiyya.   Escreve um livro após o outro, escreveu uns 80 livros num período de 25 anos.   Refere-se a Braheen-e-Ahmadiyya como o livro de Deus.  

1884

Clama ser um Mujaddid (renovador) no Islã.   Segundo casamento com Shahjehan Begum  filha de Mir Nasir Nawab, de quem também teve três filhos, Mirza Bashiruddin Mehmood (segundo califa e pai de Mirza Tahir, o atual califa), Mirza Bashir Ahmad (o autor de Seerat-ul-Mahdi) e Mirza Sharif Ahmad.   Admite ser impotente na época de seu segundo casamento. Reza a Deus para obter poderes sexuais. Deus envia o Wahi (revelação) para fazer uma poção divina.   Sob instrução divina, faz uma poção chamada ' TIRYAQ-e-ILAHI ' para recuperar a energia física. O componente principal é o ÓPIO, que também é usado para produzir heroína.    

1888

Começa a tomar juramentos de submissão das pessoas (Peeri-Mureedi).   Pede a mão de Mohammadi Begum para seu terceiro casamento.   Anuncia que o terceiro casamento com Mohammadi Begum é uma inspiração divina e que qualquer impedimento de qualquer parte resultará em conseqüências trágicas para a moça, a família dela e a pessoa com a qual ela esteja casada.   Mirza Ghulam anuncia: “Isto deveria estar claro as pessoas que não pode haver critério melhor para julgar a minha veracidade ou falsidade da minha profecia ".(Aina-e-Kamalate Islã, Roohani Khazain vol 5  p.288, por Mirza Ghulam)    Mirza ameaça sua primeira esposa e seus filhos de graves conseqüências por não ajudar no casamento com Mohammadi Begum.  

1891 

 

Clama ser o Maseel Messiah (como o Messias) e nega que ele seja o Messias Prometido. Rótulos aqueles que o acusam disto de Mentirosos. 

1891 

Clama ser Mariam/Maria.   Diz em seguida que está grávida(o)? pela insuflação da alma de Eisa ( Jesus).   Clama que se converteu em Jesus depois de ficar por 10 meses dentro de sua própria barriga (de Maria). Diz: “É assim que sou  Jesus, o filho de Maria ".  

       (Kishtee Nooh, Roohani Khazain vol 19 pág. 87-89) 

1891 

 

Estabelece o Movimento Associação Ahmadia no Islã.  

1892 

Mohammadi Begum se casa com Mirza Sultan Baig.   Para vingar-se, Mirza:  

Se divorcia de sua primeira esposa.  

            Obriga um filho a se divorciar da esposa.  

            Deserda o segundo filho dele.  

  (OBS: a primeira esposa dele tinha parentesco com Mohammadi Begum.) 

1893 

 

Desafia o Deputado Comissário Abdullah Khan Atham, um Missionário Cristão, para um debate escrito para provar a veracidade de ambas as religiões  (Islamismo e cristianismo)

Fevereiro de 1893  

Mirza declara: “Todo o mundo me aceitou e afirmou minhas reivindicações, com a exceção dos filhos de prostitutas, cujos corações foram selados por Deus.”  

      (Aina-e-Kamalate Islam, Roohani Khazain vol  5, p.548)  

      Nota: Os próprios filhos de Mirza do primeiro matrimônio não o tinham aceitado como Messias!!

1893

22 de maio até junho de 1893

Debate escrito com Atham.   Mirza recebe uma derrota humilhante. Como resultado, muitos muçulmanos se tornam cristãos!   Sem arrependimentos, Mirza Ghulam emite uma profecia divina, afirma que Atham morrerá dentro de 15 meses (neste caso 5 de setembro de 1894). Ele disse: “Eu admito que se esta profecia se revela como falsa... Eu estou preparado para receber qualquer castigo, deveria ser humilhado, minha face enegrecida, coloque uma corda ao redor meu pescoço e me pendure... Eu juro por Deus que Ele definitivamente vai *****prir isto. A terra e os céus podem mudar-se mas a palavra de Deus não será anulada”

      (Jang-e-Muqqaddas, Roohani Khazain vol 6, p.293)    

 

abril de 1894 

Atham ainda está vivo. Várias tentativas de mata-lo foram feitas por pessoas desconhecidas.  

4 de setembro de

1894 

 

Mirza faz bruxaria: recita wazeefa e depois joga sementes de grama num poço abandonado para matar Atham.  

 

6 de setembro de 

1894 

 

Graças a Mirza Ghulam, os cristãos celebram a vitória de Abdullah Atham e ridicularizam o Islã!!.  

 

 

1896

Reitera a origem divina da Profecia de casamento com Mohammedi Begum. Ele disse:  “Se eu for um Mentiroso, minha morte chegará e esta profecia não será *****prida”. (Anjame Atham)    Ele publica a seguinte revelação: “E eles te perguntam se isto é verdade? Diga: Sim, Por meu Deus, é verdade e você não pode impedir que istoocorra. Nós o casamos com ela. Não há ninguém que  mudará minhas palavras. "    

            (Asmani Faisla) 

 

27 de julho de

1896 

 

Declara que as avós paterna e materna de Jesus Cristo eram prostitutas, de cujo sangue nasceu e que esta era a razão para a inclinação de Jesus por prostitutas!!  

1897 

Petição ao governo britânico.   Ação de graças para a Rainha Vitória na ocasião do Jubileu de Prata de sua Coroação.   Processo aberto contra Mirza Ghulam através das autoridades do Imposto de Renda.   A casa de Mirza Ghulam é revistada pela polícia por suspeita de assassinato pela morte de Pundit Lekhram, foi aberto um processo criminal contra ele, mas depois foi absolvido.  

 

1898/99 

Petição ao tenente governador britânico do estado de Punjab, lembrando a ele que:

 

Os seus antepassados sempre foram serventes leais.   Ele mesmo é a autoimplantada e autocultivadoda semente do Raj britânico (Regente Britânico).   Desta tenra idade até hoje quando tinha 65 anos de idade, ele tem se empenhado com a sua caneta e língua para mudar os corações dos muçulmanos para terem  verdadeiro amor e benevolência pelos britânicos e remover o conceito de Jihad dos corações dos muçulmanos estúpidos.   Caso criminal é aberto contra Mirza Ghulam para  manter a ordem.

 

1900

 

Mirza Ghulam Ahmad anula Jihad.    Nomea os sues seguidores ' Ahmadis' e os instrui a usar a mesma nomenclatura para o censo.  

1900

Clama ser um profeta

25 de maio  de

1900 

 

Mirza Ghulam anuncia que todos aqueles  que não o aceitam como profeta são desobedientes a Deus e ao Profeta Mohammed (Maomé)SAAW e habitarão no inferno.  

 

1901

Mirza ainda não esqueceu de Mohammadi Begum. Emite ainda outra declaração que as coisas vão tomar forma estranha caso ela não venha a se casar com ele já que essas coisas são divinamente ordenadas.

Page Generation: 2.12 Seconds